quinta-feira, junho 23, 2005

Na livraria...

Numa livraria qualquer do Leblon, a princesa encantada se depara com muitas notícias, diversos lançamentos. Seus olhos fazem o zig-zag ansioso de quem não quer perder um só detalhe das linhas e cores que se apresentam ali e embaralham sua mente inquieta. Eles registram "O Kamasutra", "Cabeça de Porco", "Caras", "Vizoo", "Trip", "Buble Gum", "Anjos e Demônios" e outras centenas de títulos. Ela se dá conta da presença feminina na maioria das capas de revistas, e chega a pensar em produzir um ensaio fotográfico próprio, para estampar sua beleza na "Castle Magazine", a revista de maior tiragem, no Reino da Imaginação.

Alguns livros despertam sua curiosidade (Nesta noite, o que mais lhe interessou foi "O Kamasutra". Será que Freud tá livre hoje?), outros são eruditos demais, e muitos são surpreendentes (O Jean, do Big Brother, escreveu um livro???!!! Ela e sua santa ignorância não sabiam... E ele já está preparando o segundo... Ou seja, o primeiro vendeu bem. Nessa hora, ela desejou ter menos atribuições na vida, para que conseguisse acabar seu precioso livro dedicado às crianças.) Das caixas de som, saía um carinho para seus ouvidos: o novo trabalho de Badi Assad.

Mas, o que fez essa frágil donzela enfrentar a temperatura da madrugada polar do Rio de Janeiro (O termômetro marcava 18 graus! Um friiiiiooo...) e passar boa parte de sua noite numa livraria 24h? Na verdade, sua intenção era ir ao cinema, tomar umas caipivodkas de morango no bar da esquina e depois dançar um pouco. Rolou o cinema, rolaram as caipivodkas, mas a dança não rolou. O príncipe que lhe fazia companhia não estava bem, ficou cansado, pensativo e quis ir pra casa. Subiu no cavalo, a princesa lhe fez um carinho e ele partiu. Por isso, a moça de cabelos cor de fogo foi parar na livraria, de madrugada. Não era bem isso que planejava fazer, mas acabou se divertindo.

Sua mente inquieta pensava: "É nas livrarias 24h que topamos com as figuras mais curiosas. Quem nunca parou ao lado de alguém, num lugar desses, e começou a traçar todo um perfil e uma história de vida para essa pessoa: 'Esse aí tá todo de branco. Então, deve ser médico, estar voltando do plantão, e passou aqui pra dar uma relaxada. A mulher deve estar dormindo. Já deve estar acostumada com a ausência dele. Mas, será que ele está feliz?' Enfim, topamos também com insones deprimidos, bêbados chatos, coroas metidos a intelectuais, que bebem café, comem brownie e fingem ler Nietzsche. Sem falar nos milhares de pedestres carentes, que buscam conforto na palavra".

O relógio marcava 4h e a princesa já não tinha mais condição de ler uma linha sequer de "O Kamasutra". Entrou na carruagem e seguiu rumo ao castelo cor de laranja. A solidão havia lhe feito tão bem nesta noite... Ela trocou experiências com cada um que passou pela livraria. Mesmo que tenha sido uma troca silenciosa. O importante é que houve troca. Sentiu uma energia, que só as livrarias 24h têm. Uma energia que vem da madrugada fria, que vem dos que vagam por ela e aproveitam cada minuto seu. Uma energia que a fez perceber que, princesa ou não, ela continuaria sendo ela mesma. Para sempre. Uma energia que a fez se sentir mais viva do que nunca.

2 comentários:

Marcela Saramago disse...

Castle Magazine...
Não consigo parar de rir.
Bjo

Luiz Moreira disse...

Ola...
Estava viajando entre telas no orkut quando te vi. Achei sua foto muito atraente, e, por curiosidade, abri sua pagina no orkut e vi seu album de fotos nao menos interessantes. Foi ai q percebi que vc tinha um blog e decidi fazer mais um passeio. Muito bacana. Foi quando li o seu texto. Me senti vendo um de meus muitos passeios solitarios em shoppings, reparando nos fatos a minha volta, e me vi tambem tomando o meu cafe com brownie... muito engraçado, ri muito...
Fiquei pensando sobre ser um coroa metido a intelectual. Ainda bem que nao finjo ler, apenas me delicio com um bom cafe e um bom brownie e reparo nas pessoas em volta...
Pena nunca ter reparado em vc antes...

Gostei muito de seu blog.
Bjos,
Luiz.