segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Tirania?

Sábado, 18 de fevereiro: enquanto os gatosos (mistura de gatos com idosos)dos Rolling Stones faziam seu mega show, na praia de Copacabana, eu comia bolinhos de camarão com catupiry, tomava caipivodka de kiwi e namorava muito, num bar perto de casa. Na TV, é claro, a transmissão do evento, na íntegra. A noite estava especial. Tratava-se de um sábado, num bar recém-aberto e a calma reinava no recinto. Lugares de sobra, atendimento impecável. O melhor dia do ano para sair por aí e aproveitar a bella noite que fazia.

Realmente, eu não tenho mais paciência para certas coisas. Só de pensar em me enfiar no meio de um milhão e duzentas mil pessoas, para ver os caras de longe - sim, porque eu tenho horror à multidão e, por nada, ficaria na fila do gargarejo - e ainda correr um risco ainda maior do que o normal de ser assaltada, esfaqueada, atingida por um galho de árvore, porque pessoas sem educação escalaram as pobre coitadas, querer ir ao banheiro e ter que entrar num daqueles químicos, com neguinho fazendo as estruturas de arquibancadas (tudo isso aconteceu com pessoas reais)... Olha, francamente, fiquei fora desse programa de índio! Dizem que na área VIP foi diferente. Mas, como não sou VIP, nem nada... Para a paz do meu lar fui depois da caipivodka.

No dia seguinte... "Suvaco do Cristo". Saí para fazer um trabalho de manhã e quase não entrei em casa na volta. Já me irritei. Mas, como agora faço yoga, irrito e "desirrito" rapidinho. Resolvi almoçar. Fui a pé. Era uma mar de gente na rua! Não tive dúvida: acabei de comer, peguei um filme e fui direto pra casa. Mais tarde, lá pelas 20h, tentei sair. Não consegui. O trânsito era mega, assim como o show do dia anterior. Voltei e desisti.

Não consigo me conformar com esse tipo de evento que tira a liberdade dos outros de ir e vir. Calma aê! Não ter como sair de casa por causa de um show (conheço pessoas, moradoras de Copacabana, que não conseguiram chegar em casa, depois de um dia de trabalho - sim, pessoas trabalham aos sábados - no dia dos Stones)ou por causa de um bloco de Carnaval?! Onde é que nós estamos?!

Nada contra eventos que promovem o Rio e alegram o povo. Mas, me parece que a nossa Cidade Maravilhosa está sob o comando de tiranos...

9 comentários:

Anônimo disse...

pensa bem... tudo depende do ponto de vista...se você está namorando isso vira um saco mesmo... se voce está solteira com um bando de amigos, estaria no bloco pulando, concorda?

Marco Santos disse...

Isa, a Bela
Também sou literalmente contra festejar a custa da paciência dos outros. Mas se neguinho (e branquinho) atende a celular no cinema, fala alto durante o filme, larga o carro de qualquer jeito, prendendo os outros, joga lixo nas ruas como se a cidade fosse uma imensa lata de lixo...Imagina se alguém iria se tocar se está incomodando os outros...
Beijo.

Isabella disse...

Não, eu não estaria pulando no bloco. O ponto aí não é estar ou não solteira. É, na verdade, que não tenho mesmo mais paciência para essas multidões e para o desrespeito que vem junto com elas. É claro que já fui a muito bloco e muito show na praia. Mas, não é mais a minha. Solteira ou casada.

Daniela Mann disse...

Parabéns por este blog tão interessante!

re_bonora disse...

Concordo com o Marco. O que o esperar de um povo (e aí incluo os favelados, os criados em condomínio na Barra, os filhinhos de papai, etc.) que não se mobiliza para exigir seus direitos, que acha "normal" guerra para domínio do tráfico, que não se choca mais com uma rua do Catete metralhada por 30 minutos em plena luz do dia? Enfim...tenho a impressão que estamos tépidos. É disso que tenho medo. De não sentirmos mais nada. Por isso, amiga, é bom vê-la escrevendo com tanto sentimento expressando aquilo que nós, que não fomos dotados do bem da escrita, também sentimos.

zagueirão disse...

Ô " meu",

Olhando daqui de Sampa, dá uma saudades dessas bagunças... Não esquenta não. Não vale a pena.

Bjos

Isabella disse...

Eu tô é com saudade docê, meu querido amigo!

Marco Santos disse...

Querida Isa, a Bela
Parabéns pelo dia de hoje. Tem dedicatória especial pra você no Antigas Ternuras. Beijo grande!

Isabella disse...

Obrigada, Daniela! Volte sempre. Bjs.