sábado, agosto 16, 2008

O melhor do mundo

Acabo de me emocionar profundamente com o ouro de Cesar Cielo Filho nas Olimpíadas de Pequim e, apesar de estar me acostumando, fico muito feliz todas as vezes que o fenômeno "Phelps Midas" sobe ao pódio. Cada um no seu quadrado, ou melhor, retângulo, ou melhor, raia superando seus limtes. Aliás, assisti à prova num restaurante, onde todos comemoraram essa vitória como se fosse a final do Brasil na Copa. Como deve ser incrível ser o melhor do mundo, nem que seja por alguns minutos! Foi quando, de repente, me dei conta de que, talvez, o esporte seja a única ou uma das únicas atividades em que o reconhecimento vem exclusivamente por mérito. Nas piscinas, nos ringues, nas pistas de atletismo, enfim, em qualquer campeonato, vence o melhor e ponto final. Não tem QI - o famoso "Quem Indica" - não adianta dar pro técnico, de nada serve ser amigo do amigo, nem filho do presidente do COI. E mais: é o único salário - seja em ouro, prata ou bronze - que é recebido com muita vibração, socos na água, chutes no ar, lágrimas e sorrisos. Não que eu não sinta emoção alguma ao fazer uma ótima reportagem, ao ter um conto publicado, ao terminar meu programa de rádio ou ao gravar uma locução. Não que eu não comemore um bom salário, um mês mais lucrativo. Mas a vibração é mais discreta. Não fico pulando em frente ao caixa eletrônico, quando saem as verdinhas saltitantes e não bato na bancada da rádio toda vez que acabo de apresentar o "Blush". No esporte é diferente. Deve ser. Sinto que é. Enfim, são só refelexões... Reflexões que me deixaram com uma vontade enorme de me tornar atleta. Será tarde demais? 

22 comentários:

Bárbara Pereira disse...

Belíssima,

estou rolando de rir com a imagem dos saltos em frente ao caixa eletrônico. Pensei também em algumas formas de comemorar cada edição do programa que faço e que vc tão bem conhece: foi foooood@@@@@!!!! Caralh......., put@a q par**&^%!!!!

Isso tudo com os bracinhos pro ar e depois de uns gritinhos de uhu!!!

Quanto ao fato de se tornar atleta, talvez não dê tempo para tanto, mas, no meu caso, eu só queria que desse tempo de ficar com o corpo de atleta...rs

beijos

isabella saes disse...

Hahaha... Gostou dos saltos no caixa eletrônico, né?! E ainda imagino mais: a fila toda me aplaudindo, tudo em slow!!! Não seria um must?! Hehe... Pois é, amiga, tá tarde demais mesmo pra me tornar atleta, mas uma maratona ou outra dá pra correr! Beijos.

Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...

Dá até pra competir. Não uma olimpíada, é claro. Mas até ganhar um jogo de video-game entre amigos pode ser bastante divertido. E pra se exercitar nunca é tarde.

Mas eu acho que é possível chegar à emoção dos atletas em outras modalidades. Um milhão de livros vendidos. Um prêmio pra sua peça de teatro. Um kikito. Um oscar..

Enfim. E esporte de alto nível não é só ser o melhor do mundo.. Um nadador colombiano nunca vai poder competir no mesmo nível que um Phelps. Pelo menos por enquanto. Nenhum atleta é só ele. São técnicos, suplementos, investimento, pesquisa.. e blá,blá, blá. Mas isso é só pra puxar o assunto pelo meu lado chato. Aliás, já ouviu nossa correspondente em Pequim arrebentando? hehehe

Ah, quando estiver de bobeira dá uma olhada no blog "a felicidade é vizinha da tristeza". O link tá lá no meu. É de uma prima minha adolescente de quinze aninhos, que eu acho muito talentosa. "As pernas", acho que esse é o título, é o melhor texto ali na minha opinião.

Beijo olímpico

Murilo Ribeiro disse...

Olha...cuidado, hein?! Podem te flagrar pulando em frente ao caixa e alguém pode reconhecer que você é a moça que põe o celular pra congelar. Aí, Bella, você vai virar atleta no Pinel!!!rs...
Muito bom texto! Mas o Phelps...já deu, né? Tem todo o mérito do mundo, mas tornou a natação a coisa mais previsível dessa Olimpíada...
Bj! E viva o Cielo! Fiquei emocionado também!!!
Outro bj!

Murilo Ribeiro disse...

Ah, depois passe lá no Babelturbo e leia o post - e os comentários - que tem a foto dos Teletubbies. Acho que nunca me diverti tanto com algo que escrevi - e com a resposta dos leitores...

isabella saes disse...

Gabriel, meu querido! Hoje eu me superei e fiquei muito feliz. Senti-me um Phelps em Pequim! Atingi a velocidade de 12 Km/h na minha aula de running e pra mim já bastou. Não me tornei uma atleta, mas vi que é possível avançar! Hehe... Aliás, deve ser mesmo incrível ganhar um kikito. Ainda chego lá com meu conto que vai virar curta... Vou lá no blog da sua prima, podeixá! Beijo.

Murilo, atleta do Pjnel!!! Hahahaha!!! Aí, eu ia pirar de vez. Sim, o Phelps é previsível. Mas, que é bom demais ver o cara competindo, ah, isso é. Aliás, Murilo, faríamos uma boa dupla de atletas do Pinel... O que vc me diz? Vou lá no Babel.

® ♫ The Brit ♪ ® disse...

Oi Isabella!
Tudo bem?! Eu voltei agora de uma caixa eletronica onde eu fiz uma tarde inteiro mostrando meus habilidades gimnasticas celebrando os 4 Ouros do Grã-Bretanha! hahahahaha!
If I send you your Dvd's by Sedex this week will you be there to receive them or should I wait?
Talk to you soon amiga!

Suellen Analia disse...

Adorei os "saltos em frente ao caixa eletrônico" hahahahah

Tarde p se tornar atleta? Que nada!
E a sua "mini maratona gigante" até o trabalho?!
Não conta? hahha


Beijos.

Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...

Tô apostando no seu Kikito a 18km/h.
Vc tem razão que algumas emoções são difíceis de se alcançar. esportes e show de música realmente são coisas únicas.
Bjs

Murilo Ribeiro disse...

Ahahahaha...adorei ter sido escalado pra Olimpíada do Pinel contigo!rs...
Bj!

Eu penso que... disse...

Que legal saber que vc tem um blog e que ele é realmente a sua cara! Já virei fã da hora do Blush e adoro os comentários de vcs!
Parabéns e muito sucesso.
Bjs, Andrea

PS: Voltarei sempre.

isabella saes disse...

Hi, The Brit! You can send me the DVD's until 29/08. After that, it's better to wait because i'll be on vacation all september! Thank you!!!

Com certeza conta, Suellen! Já sou uma atleta por conta disso. Bjs.

Gabriel, vc tirou as palavras da minha boca. Tb me emociono muito em shows. Ah! E com espetáculos de dança tb. Com livros, filmes, notícias... Hehehe... Com tudo!

Andrea, volte sempre aqui! Quando quiser!!! Esse espaço é nosso. Obrigada pela visita e continue nos fazendo companhia no "Blush"!!! Bjs.

Marco disse...

Pra mim, você é medalha de ouro em simpatia, beleza e talento. Pode comemorar, Isa, a Bela do Brasil!
Você tem razão, o esporte, e talvez só ele, deixa a gente em estado de euforia após uma conquista. Eu queria ser jogador de futebol e marcar um gol pelo Flamengo numa decisão contra o vasco num Maraca lotado! (Isso equivale a uma medalha de platina...) É mocionante ver a alegria dos vencedores, assim como dá uma tristeza enorme quando um atleta erra e põe por água abaixo todo um trabalho árduo de anos. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

isabella saes disse...

Marco, querido! Obrigadíssima pela medalha de ouro em todos os quesitos. Ganhei o dia!! Pois é, e tb dá uma raiva danada quando a organização perde a vara da atleta e ela fica completamente desconcentrada. Não foi certo o que fizeram com a Fabiana Murer!!! Grande beijo, Bella.

Suellen Analia disse...

Fala, atleta! rs

Atualizei o meu.

Beijos p vc.

Violeta disse...

o esporte é mesmo coisa de deixar qualquer um maluco.
eu, mesmo na categoria semi-profissional, já chorei gritei e torci, num nivel que quem vê nem imagina.

mas se engana que não tem quem indica, que não não etm amigo de amigo de amigo, que não tem grana pro juiz. têm.
mas esse não é o ponto. o ponto é viver. é gritar. chorar.
digo que valhe a pena, sim, ser atleta.
mas só por um periodo, só como experiencia.
vale como lembrança, uma das melhores que eu tenho, é verdade. mas na vida tudo pode tomar varios caminho, e cada vez que escolhemos um anulamos o todos os outros - e nenhum é melhor que os outros.
aquilo que você sente na psicina você encontra em todo lugar que quiser, se quiser.

isabella saes disse...

Oi, Violeta! Seja sempre bem-vinda por aqui. É, quando fazemos uma escolha acabamos deixando as outras de lado, mas isso não quer dizer que não vamos realizar as outras tb. É uma questão de tempo e prioridade. Que bacana que vc já competiu semi-profissionalmente. Deve ser realmente emocionante! Volte sempre, viu?!

Suellen Analia disse...

Isabella, já viu esse blog(http://www.quejornalismoeesse.blogger.com.br/)?

É bem legal!

Bjs!

Lívia Pinho disse...

Aproveitando o comentário da violeta, escolhi o jornalismo em detrimento do esporte. Jogava vôlei, mas isso é passado agora... Feliz ou infelizmente. Só sei que estou muito satisfeita com a minha escolha!

Assistindo a competição do salto em distância, me emocionei também com a vitória da Maureen Maggi e fiquei pensando se ainda é tarde... Sei que não posso mais voltar pro vôlei, mas será que consigo alguma coisa no tiro com arco?

Beijo,
Lívia Pinho.

Andréa Cordoniz disse...

Oi, Isabella
Agora que vi que vc deixou um recado no meu blog e fiquei, sem dúvida, muito feliz!! Mesmo!!!
Hoje mandei um e-mail para a rádio falando que soube que vc falou do livro ontem. AMEI!!!! Obrigadíssima pela força, atenção e elogios!!Muitíssimo bom saber que você gostou do livro!
Só fiquei trsitinha por não ter ouvido você falar dele, pois estava em São Paulo em uma reunião de trabalho.
Apareça sempre por aqui tb!
Parabéns por seu primeiro ano de grande sucesso na Paradiso!!!
Todos os beijos!

isabella saes disse...

É claro que consegue, Livia! Vá em frente e depois me conte! Aliás, tb me emocionei muito com a Maureen, foi muito bacana, ainda mais sabendo por tudo o que ela passou!! Seja sempre bem-vinda por aqui!!

Valeu, Andrea!! Muito obrigada pelo livro e seja sempre bem-vinda aqui neste local onde descarrego toda a minha energia literária!!