quarta-feira, setembro 30, 2009

A menina voltou...


Quando criei esse blog, em 2005, costumava escrever muito sobre uma menina sem nome e sobrenome, sem rosto, sem roupa. Ela era despida de toda e qualquer característica que pudesse gerar imagem. Era puro sentimento. Pois ela voltou ao meu imaginário, com força total. E eu? Eu me entreguei. Quem é dotado de uma mente inquieta como a minha, sabe o quanto é importante entrar em contato com os sentimentos e ficar ali por um tempo. Pois então, a menina - que não é mais tão menina assim, vai... - chegou com tudo e está introspectiva. Passa por um dos momentos mais importantes de sua vida, onde conquistas e realizações misturam-se a descobertas agradáveis e outras nem tanto. Ela está em fase de crescimento e descobriu sua mais nova paixão: os yogo berries, esses iogurtes frozen com coberturas mirabolantes que são vendidos em todo canto da cidade. E ainda disseram a ela que é  tudo light. Melhor impossível. Hummm... Crescer não é fácil, em todos os sentidos. Então, nada como um yogo berry para adoçar essa trajetória. Ela trabalha. Muito. Ela vibra. Muito. Ela chora. Muito. De alegria, mas também de decepção. Sente falta da amiga e irmã distante. E sorri um sorriso honesto, mesmo em situações adversas. A vida é assim e é por essas e outras que viver se torna tão desafiante e irresistível. Sentindo tudo isso (ufa!), lembra - sentada numa cadeira de balanço - de sua avó, que se foi dormindo, em paz... E traz à mente uma frase da qual jamais se esquecerá: feliz é aquele que conhece o perfume daquilo que perdeu. 


19 comentários:

Jair Paiva disse...

Li.. Gostei e repasso o link aos colegas e amigos para lerem também.

Um abraço Isabella.

É media disse...

Uma porção de soda e outra inteira de brilhantismo. O Rio de Janeiro, o Brasil e o mundo agradecem tanta inquietude de querer falar, de querer escrever.

Muitos escrevem, mas poucos sabem pôr em ordem o sentimento avassalador quem vem de dentro e urge irradiar-se por entre olhos e ouvidos carentes ou atentos. Talvez, não seja bem a ordem que prescinde o sentido de se tornar presente, substantivamente.

A menina que antes era sem nome, sem nada, sem lenço e sem documento foi se construindo, foi construída precisamente pela força inata de vencer, manualmente, lapidada com todo esmero na fortuidade abençoada e consentida em ser o tempo da imagem; a hora do blush; a Isa da Lu.

Parabéns e continue(m) assim!

Ps:

É media disse...

Uma porção de soda e outra inteira de brilhantismo. O Rio de Janeiro, o Brasil e o mundo agradecem tanta inquietude de querer falar, de querer escrever.

Muitos escrevem, mas poucos sabem pôr em ordem o sentimento avassalador quem vem de dentro e urge irradiar-se por entre olhos e ouvidos carentes ou atentos. Talvez, não seja bem a ordem que prescinde o sentido de se tornar presente, substantivamente.

A menina que antes era sem nome, sem nada, sem lenço e sem documento foi se construindo, foi construída precisamente pela força inata de vencer, manualmente, lapidada com todo esmero na fortuidade abençoada e consentida em ser o tempo da imagem; a hora do blush; a Isa da Lu.

Parabéns e continue(m) assim!

Wilen Norat Siqueira

Claudinha ੴ disse...

Olá Isabella! É um prazer conhecer seu espaço. Já conhecia sua voz em narrações na tv, mas só agora conheço seu blog. Estou adorando o livro e queria parabenizá-la por suas escolhas. Sou suspeita para falar pois sou fã de Léo Jaime desde muito tempo, frequentadora do blog antigo dele e autora do tópico sobre o Humor Vermelho na comunidade dele no Orkut. Também sou seguidora do Marco do Antigas Ternuras há anos e digo que só o título do texto deste nosso amigo já vale a leitura inteira! Estou tendo a oportunidade de conhecer outras letras, outros estilos e me deliciando com este humor que sempre nos faz lembrar dos nossos próprios casos de família.
O seu texto de hoje mexeu muito comigo também. Eu conheço uma menina, que ainda mora dentro de mim e que tem escrito suas memórias em blog desde 2003. Estas meninas devem ser cuidadas e como meus queridos meninos do Clube da Esquina dizem "toda vez que a adulta balança, ela vem pra me dar a mão"...
Que nossas meninas sempre existam!
Prazer em conhecer tudo aqui!
Um beijo!

isabella saes disse...

Jair, Wilen e Claudinha! Que prazer tê-los aqui. Obrigada pelo carinho e pelos elogios. Sejam sempre muito bem-vindos. Beijo grande, Isabella.

Cristiane disse...

Achei lindo.Tb me emocionei.
Volto em breve por aqui!

Amanda Hora disse...

Antes de mais nada, que fofa essa foto!! rs
Agora, comentando sobre o texto, a menina parece viver intensamente, tamanha a intensidade de suas palavras. Sendo assim, o que importa é manter o sorriso honesto no rosto e seguir, daí surgem mais alegrias que tristezas.
Beijos

isabella saes disse...

Amanda e Cris, beijos pra vcs e emocionem-se sempre. Quanto mais dialogarmos internamente e acalmarmos nossas mentes inquietas, melhor! Beijos!!

Jair Paiva disse...

Boas Férias Isabella, Aproveite!!!

Um Abraço

Um dia vou saber... disse...

Sei lá .Já aconteceu com vc ? Tudo se mistura e vc simplesmente não consegue expor o que está dentro. Escreve , apaga .Escreve e inverte.Apaga tudo.Talvez não.Não com vc. Quem sabe a técnica tenha ajudado nas colocações.Quem sabe essa mesma técnica tenha criado caminhos até meio instintivos que levam a um texto perfeito e bom de ler. Quem sabe o hábito tenha sido um grande companheiro desta “mente inquieta” por todo esse tempo ( mesmo ainda menina) para se fazer entender . Assim a nós nos tenha agraciado e nos tem feito levitar em cada palavra.Sei lá.Talvez puro talento.Acontece comigo , tudo se mistura e técnica , hábito , instinto me deixam ao léu , desesperada e confusa sem saber qual palavra casar com qual ou qual rima colocar aonde mesmo sabendo que não é preciso de regras na informalidade. Em meio a esse turbilhão eu tento expor .Confuso mesmo não? Mas o que quero dizer é que agraciados somos em poder te ler.

Marco disse...

Olá, Isa, a Bela
Eu bem conheço esta menina de mente inquieta já faz bastante tempo, não é? Já trabalhei com ela em teatro, já dividimos letras em livros... Enfim: viramos amigos de infância pra toda a vida.
Quanto ao yogo, também tomo o meu de vez em quando. É um vício! Huuuuummmm...
Bem sei que você anda ocupada com muitas atividades e dá conta de todas elas com a maior competência. Eu me orgulho muito de você.
Como tem ido as férias? Viajou?
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Val Becker disse...

Adorei seu espaço :)
Já está indicada no meu site.

Quanto aos yogos... uma espécie de vício aquilo, não? Tenho até cartelinha de fidelidade. rs rs

Beijo.

Anônimo disse...

Menina, vc é ótima! Adorei esse texto "A menina voltou", parece que fui eu quem escrevi, tamanha a identificação...

Selma Boiron disse...

Bella!!! Q lindo texto! Voltei - junto copm a menina ;) e o Yogofresh, ai!, está me perseguindo! Vai abrir um no meu caminho, ali, bem na Praça General Osório. Se não for MSM lite, tô frita! Saudades, bjos, e não deixe a menina sumir!

isabella saes disse...

Pessoal, mil desculpas pela demora em responder. Mas é que tirei férias e só tô voltando à ativa agora... Em breve, mais posts por aqui! Selminha sumida!! Saudades de vc. Beijos e obrigada pelo carinho de todos que postaram aqui!!

juca cavalcante disse...

OBA! A MENINA VOLTOU!!
UM ABRAÇO ISABELLA!

Maldito disse...

Retornos devem sempre ser comemorados,...inté!

Jardeco7 disse...

"Feliz é aquele que conhece o perfume daquilo que perdeu."
Demais!
Voltarei mais aqui.

Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...

Estava com saudade de te ler.
Muito bem matadas estas saudades. Agora falta matar as saudades não virtuais. Mas essas acho que a gente resolve muito em breve :)

beijo