quinta-feira, março 30, 2006

Brasília Cinza

O céu de Brasília está cinza, como ela nunca viu. A chuva cai lá fora. Ela repensa seu dia, sente saudades de seu amor... O companheiro (Nunca se refere a ninguém assim... Mas, vejam bem, ela está em Brasília...) ao lado lhe oferece lindos e crocantes biscoitos de polvilho. "Terão eles glúten?", pensa ela. Não aceita. O tempo de conexão gratuita vai acabando e tantas imagens vem à cabeça, tantas vozes, tantas lembranças. Ela passou o dia com crianças, deve ser por isso. Crianças trazem nostalgia, fazem a gente ter contato com a pureza. Ela corre, seus dedos teclam rápido, como algo na história de "Alice no País das Maravilhas". Ela vê as fotos da praia, fala com a chefe no telefone, pensa, repensa... Angústia e alegria estão presentes, se fundindo numa grande antítese. A mente inquieta cansa. E o céu de Brasília continua cinza...

6 comentários:

re_bonora disse...

Bel,
Não é somente o céu de Brasilia que está cinza, aqui no seu Rio de Janeiro também. Às vezes penso se não é a nuvem em cima da minha cabeça que está encobrindo a cidade. Loucura, né?! Mas estou me sentindo meio assim...meio louca. Dessas que começa a rir, quando deveria chorar, sabe? Resolvi desencanar e entregar meu destino, mais uma vez, na mão do Cara que sabe tudo. Saudades, Amiga!

Murilo Ribeiro disse...

Só pra marcar presença.
Pena que você pegou o céu acizentado. Brasília tem o céu mais bonito do país...
Bj e bem-vinda de volta!

Isabella disse...

Tem mesmo. Mas, dessa vez as nuvens não deram trégua... Bj.

Marco Santos disse...

Não é só Brasília que está cinza. esse país está nublado! Cruz credo! Beijo, querida Isa, a Bela!

Biba Blandy disse...

Sou marinheira de prima e adorei tudo aqui. Olha que eh raro...

Beijos e tudo de bom!

Bia.

Marco Santos disse...

Querida madrinha do blog Antigas Ternuras: a sua tia Sonia costuma me visitar, a Re Bonora fiquei sabendo, também (me senti honrado!), e você nem vai me visitar, né? Aliás, estou com saudades. Vamos fazer Via Sacra lá na Companhia. Vê se aparece. Um beijo grande.