quarta-feira, junho 28, 2006

Déjà Vu

Esperava o sinal fechar quando a chuva começou a cair. Pingos finos ajudavam a engordar ainda mais a poça que antes ali se formara. Olhava fixamente aquela água suja tomar diversas formas, quando entrou numa espécie de transe. O sinal fechou, abriu, fechou, abriu... E ela continuava lá, estática. A buzina desagradável de um veículo que não mais deveria circular em vias públicas a despertou e, finalmente, conseguiu atravessar. O dia passou normalmente, a chuva apertou, o arco-íris apareceu, o frio castigou. Na volta para casa, já tarde da noite, abriu a janela do carro e deu um pedaço de bolo ao menino malabarista. O sinal piscou laranja e ela disse a si mesma: "Hora de me recolher!" Fez o caminho de sempre, abriu a porta de casa e foi dormir com uma forte sensação de déjà vu...

4 comentários:

Mariana Pimentel disse...

Isabella,
curti seu blog.
um bj
Mariana
ps: posso colocar o link dele no meu blog?

Isabella disse...

Valeu, Mariana! É claro que pode. Volte sempre, viu?!! Beijos.

Marco Santos disse...

Oi, Isa, a Bela.
Esse seu post me fez lembrar o "A Day in the life", dos Beatles. Bem legal.
Beijo grande procê.

re_bonora disse...

Pergunta: estava chovendo forte? vc estava ouvindo música ou tilintar das gotas caindo no metal do carro?