quinta-feira, agosto 17, 2006

Viva Cora!

Leiam a crônica da Cora Ronai, no "O Globo", de hoje. Ao ler o último parágrafo - onde ela diz que não aconselha uma vinda ao Brasil, mais específicamente ao Rio - me vejo em minhas viagens por aí, falando com os estrangeiros que conheço e que têm muita vontade de vir pra cá. Mas o curioso é que, quando conto que faço isso para as pessoas, todas - sem exceção - dizem: "Não faça isso, você é louca. Falando mal da cidade onde você vive..." Como se o Rio fosse uma das sete maravilhas do mundo. Essa cidade é uma vergonha, e quem a comanda também. O país, nem se fala. E o mais inaceitável é que vamos assistir - calados e inertes - a uma reeleição bizarra. Medo, pena, indignação... É isso o que sinto. De um Rio de Janeiro que dizem um dia ter sido maravilhoso. Eu não vi. Minha geração não viu. E, na minha visão pessimista de um país que não tem jeito e uma cidade completamente partida, as próximas também não vão ver.

5 comentários:

Murilo Ribeiro disse...

Bom, passei aqui e li...rs...
Acho que devo dizer "até o mês que vem", né, sua blogueira relapsa!!!rs
Bj!

tia Sonia disse...

Belzinha,
Eu adoro a Cora Rónai! Leio sempre seus artigos e lí o do dia 17. É incrível como ela diz exatamente o que eu gostaria de dizer.
É uma pena que a gente se envergonhe da nossa cidade!!! E o pior é que, como ela diz, não existe o fundo do poço e o que se vê é o assassinato do pobre garoto português que morre estupidamente. Eu custo a imaginar uma mãe e um pai, indo cair nágua, deixando o filho vivo e, ao voltar, o menino está morto!!! Realmente, isto aqui está terra de ninguém! O pior é que não se vê solução...
Enfim, vamos pensar no ditado: A esperança é sempre a última que morre!!!

Bjs Sonia

Marco Santos disse...

Oi, Isa, a Bela.
Eu li a crônica da Cora. Eu também escrevi sobre a violência no Antigas Ternuras.
Aliás, eu falo exatamente disso. A atual geração não vai ter antigas ternuras para relembrar daqui a 20, 30 anos. O caos não é exclusividade do Rio, infelizmente.
Tô sabendo de cidade com menos de 20 mil habitantes onde o assalto já está pegando firme. Meu Deus...
Beijo. Saudades, viu, mãe-sapinha?

re_bonora disse...

Bel,
Compartilho da sua indignação, até porque sou carioca e amo minha cidade. Queria muito poder falar dela com orgulho, mas...
Sei não, tô com a Tia Sonia, a esperança é a última que morre, espero que meus sobrinhos e afilhados possam viver num Rio realmente maravilhoso.
Beijos,Re

Al Lima (usa) disse...

Oi Bel,
só hoje,(15/4/07) tive a oportunidade de chegar até seu blog e esse texto. Meio tardio, eu acho mas ainda em tempo de concordar contigo em todos os sentidos. Minha reação foi outra diante de tanta violência... saí do país! Aproveitei e tirei minha família também para que, no futuro, tivéssemos ago de bom para contar sobre o Brasil de outrora (o bom Brasil)...