quarta-feira, outubro 31, 2007

Vai por mim...

Lá vai a mocinha falar de cinema de novo... Não resisto...

É que no último mês tive a oportunidade de assistir a dois filmes nacionais que me surpreenderam. Os que me conhecem sabem que pra mim cinema é, em primeiro lugar, sensação. Num primeiro momento, eu não fico prestando atenção na fotografia, nos enquadramentos, no que o cineasta quis dizer com tal e tal cena, enfim, é claro que esses aspectos me chamam a atenção, mas cinema para mim é, acima de tudo, a forma como eu saio da sala, o que ficou em mim, qual foi o impacto da história que acabei de assistir sobre a minha vida, o meu estado de espírito...

Bom, falei tudo isso porque fui presenteada com duas produções nacionais, recém-saídas do forno e obrigatórias, principalmente para aqueles que já vão ver um filme nacional de nariz torcido, como eu, confesso. Seus títulos: "Sem Controle" e "Pode Crer", duas produções completamente diferentes, mas que me fizeram sair do cinema acreditando mais nos roteiristas brasileiros e feliz por não ter conhecido mais um capítulo do nordeste do Brasil ou da violência que assola o país.

"Sem Controle" conta a história de um diretor de teatro, vivido pelo Du Moscovis, que resolve montar uma peça num sanatório. Não é tão simples assim, mas não me sinto muito à vontade de ficar aqui contando a história porque tenho medo de estragar as surpreendentes viradas do roteiro. Vale prestar atenção no trabalho dos atores, um dos maiores méritos do filme.

Já "Pode Crer" é uma deliciosa experiência cinematográfica sobre uma época que não volta mais: o Rio de Janeiro do início dos anos 80, com direito à imagens de Super 8. Também não vou ficar aqui contando tudo, se não o impacto do filme acaba reduzido.

Bom, estão aí duas dicas principalmente para aqueles que querem começar a ver o cinema nacional com outros olhos. E, lembrem-se, é apenas uma dica. Crítica já são outros quinhentos e é algo que não sou capaz de fazer como mera cinéfila que sou. Isso eu deixo para meus coleguinhas Wilker, Jaime Biaggio, Marcelo Janot e Renata Boldrini!

3 comentários:

Marco disse...

Olá, Isa, a Bela.
Eu já tinha anotado na agenda ver os dois filmes. especialmente o "Podecrer", que tem uma aura assim meio antigas ternuras.
Com a sua recomendação, vou correndo!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Marco disse...

Querida, li o seu post abaixo e aproveito para te convidar e aos seus leitores (principalmente a Sonia e a Vera Regina, viu?) para o lançamento do meu livro "Popularíssimo - o ator Brandão e seu tempo". Trata-se de um ator que foi o mais popular do Brasil no final do século 19/início do 20. Era pai do "primo pobre" Brandão Filho, aliás muito amigo de seu avô. O livro faz um farto relato da vida cultural no período e tem informações curiosíssimas. No dia 12, no Centro Cultural Memórias do Rio, na Avenida Gomes Freire, perto da Lapa. Te mando um e-Mail com mais detalhes. Beijos. Carpe Diem.

re_bonora disse...

Estou com você Bel...cinema é sensação! Não poderia ter descrito melhor.
Ainda não vi "Sem Controle", mas "Pode Crer!" é realmente uma delícia de filme. Despretensioso, faz a gente sair do filme na maior nostalgia...mas como uma coisa boa, dos bons anos que não voltam mais.
Beijo grande,
Re