segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Sai desse corpo que não te pertence!

Por favorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!! Pára o bonde que eu quero descer!!! Dia desses resolvi ligar a televisão por volta das 13h para almoçar acompanhando o noticiário. Foi quando veio o intervalo e eu, sem saber o que me esperava, resolvi zapear. Pra quê?! Parei num desses canais que vendem espaço para qualquer - eu disse qualquer - tipo de programa. Foi quando me deparei com dois pastores, num fundo preto, jogando papéis com os nomes e as datas de nascimento de pessoas, numa espécie de triângulo branco, que fica sobre uma mesa, apelidada por eles de "Reino da Luz", onde - eles garantem - mora a salvação. O discurso dos pastores é sobre o que eles chamam de "A Maldição dos Ancestrais". Eu explico: a tal maldição é o que acontece repetidamente com você e pessoas da sua família. Vícios, desilusões amorosas, doenças e afins. Isso mesmo: para as supostas bondosas criaturas sentadas à mesa, coisas que acontecem ou por uma questão genética, hereditária ou por que tiveram que acontecer mesmo e paciência, são responsabilidade de algo chamado "A Maldição dos Ancestrais". E você só se livra dela quando seu nome entrar no "Reino da Luz". Consultas constrangedoras são feitas por telefone e, pasmem, ele não pára de tocar. Encontros são marcados nas igrejas, promessas de ajuda são feitas, o nome de Jesus é falado umas 897 vezes e... Chega, né, pessoal! Quando vi, estava hipnotizada pelo tamanho absurdo a que estava assistindo, sentindo uma mistura de pena daquela gente com indignação por aquele programa abominável ter me prendido por tanto tempo. Mas, confesso, queria ver até onde ia tamanha bizarrice. O que me dói mais nessa história toda é saber que, num horário tão importante, a tv aberta não tem nada melhor a fazer do que aceitar dinheiro da Igreja para promover lavagem cerebral, através de um programa que representa o desrespeito e a descrença na inteligência de um povo carente de boa informação.

32 comentários:

Fábio disse...

É pura falta de bom senso.

É neste ponto que a televisão se perde junto com a palavra de Deus.

Um beijo Bella
FM

Murilo Ribeiro disse...

Nessas horas, olho pra televisão, aquele aparelhinho tão bonitinho, e, possuído, tenho vontade de berrar:
"QUEIMA, JESUS! QUEIMA!!!"
Tá repreendido, Bella!
Bjão e saudade de você!!!

Iztvan disse...

Leiam Krishnamurti e Câmara Cascudo.

Ajuda a entender.

isabella saes disse...

Fábio, vc sempre assíduo!

Murilo, vc sempre figura!

Iztvan, vc sempre com uma boa indicação de bibliografia. Recomenda algum título específico?

Beijos e sejam sempre bem-vindos!!

maker52 disse...

para inquietar sua bellíssima mente - O ego é uma necessidade; é uma necessidade social, é um subproduto social. A sociedade significa tudo o que está ao seu redor, não você, mas tudo aquilo que o rodeia. Tudo, menos você, é a sociedade. E todos refletem. Você irá à escola e o professor refletirá quem você é. Você fará amizade com as outras crianças e elas refletirão quem você é. Pouco a pouco, todos estarão adicionando algo ao seu ego, e todos estarão tentando modificá-lo, de modo que você não se torne um problema para a sociedade.
Eles não estão interessados em você. Eles estão interessados na sociedade. A sociedade está interessada nela mesma, e é assim que deveria ser. Eles não estão interessados no fato de que você deveria se tornar um conhecedor de si mesmo. Interessa-lhes que você se torne uma peça eficiente no mecanismo da sociedade. Você deveria ajustar-se ao padrão.
Assim, estão interessados em dar-lhe um ego que se ajuste à sociedade. Ensinam-lhe a moralidade. Moralidade significa dar-lhe um ego que se ajuste à sociedade. Se você for imoral, você será sempre um desajustado em um lugar ou outro...
Moralidade significa simplesmente que você deve se ajustar à sociedade. Se a sociedade estiver em guerra, a moralidade muda. Se a sociedade estiver em paz, existe uma moralidade diferente. A moralidade é uma política social. É diplomacia. E toda criança deve ser educada de tal forma que ela se ajuste à sociedade; e isso é tudo, porque a sociedade está interessada em membros eficientes. A sociedade não está interessada no fato de que você deveria chegar ao auto-conhecimento.
A sociedade cria um ego porque o ego pode ser controlado e manipulado. O eu nunca pode ser controlado e manipulado. Nunca se ouviu dizer que a sociedade estivesse controlando o eu - não é possível.
E a criança necessita de um centro; a criança está absolutamente inconsciente de seu próprio centro. A sociedade lhe dá um centro e a criança pouco a pouco fica convencida de que esse é o seu centro, o ego dado pela sociedade.
Uma criança volta para casa. Se ela foi o primeiro lugar de sua sala, a família inteira fica feliz. Você a abraça e beija; você a coloca sobre os ombros e começa a dançar e diz 'que linda criança! você é um motivo de orgulho para nós.' Você está dando um ego para ela, um ego sutil. E se a criança chega em casa abatida, fracassada, foi um fiasco na sala - ela não passou de ano ou tirou o último lugar, então ninguém a aprecia e a criança se sente rejeitada. Ela tentará com mais afinco na próxima vez, porque o centro se sente abalado.
O ego está sempre abalado, sempre à procura de alimento, de alguém que o aprecie. E é por isso que você está continuamente pedindo atenção.
Você obtém dos outros a idéia de quem você é. Não é uma experiência direta.
É dos outros que você obtém a idéia de quem você é. Eles modelam o seu centro. Mas esse centro é falso, enquanto que o centro verdadeiro está dentro de você. O centro verdadeiro não é da conta de ninguém. Ninguém o modela. Você vem com ele. Você nasce com ele.

Anônimo disse...

Belzinha,
Diante disso, é melhor ouvir uma boa música, que a comida desce melhor e você fica mais feliz, pois, hoje em dia, também, noticiário na hora das refeições é fogo!!! Só desgraça!!! A comida fica na garganta, quase que não desce!!!
Portanto, sobrinha, vai de música que é dose certa. (Só não bota o tal do CREU!!!).
Beijos da
Tia Sonia

isabella saes disse...

Tia Sonia, pode deixar que o Creu não tem quem me faça ouvir...

E quanto à sua aula em forma de texto, Maker 52, me fez lembrar de um livro do Nilton Bonder chamado "A Alma Imoral". Obrigatório pra quem deseja entender mais sobre o que você disse.

Voltem sempre!!

Iztvan disse...

Vamos aos livros:

C Cascudo - Civilização e Cultura. São dois volumes generosos.

Krishnamurti - Viagem por um oceano desconhecido. São várias palestras feitas na índia e nos EUA.

isabella saes disse...

Valeu, Iztvan! Vou me dedicar a esses títulos nas minhas próximas leituras. No momento, estou entretida com uma história de um músico que compra um fantasma pela internet... Tempos modernos!

Iztvan disse...

Como É que É?

Modernos mesmo.

isabella saes disse...

Haha... "A Estrada da Noite" é o nome... Essa minha loucura por "thrillers" me traz cada livro às mãos... Estou bem no início, não posso nem recomendar ainda...

Fábio disse...

ahh legal...eu tô lendo "captação de recursos para projetos e empreendimentos"...já sei, já sei, meu espirito de leitura foi aniquilado por esse sistema que nos sucumbi, mas fazer o que???

Bella me sugira um bom livro que não seja muito complicado pra eu retomar meu hábito por leitura mas também não precisa ser um livro infantil. não estou tão defasado assim. Me ajuda!

Um beijão
FM

Luiza disse...

Digníssima parceira,
Fiquei sabendo por fontes fidedignas, que essa história de igreja na tv, é uma forma de cambalahcho pra lavar dinheiro.
A tv é uma empresa e a igreja, não deveria, mas é outra, e ambas pertencem ao mesmo dono. A TV vende para a igreja espaços em sua grade. Esse preço não é tabelado, e cada uma vende por quanto lhe convém. Acontece que essas TVs, vendem seus espaços por valores estratosféricos, muito superiores aos da líder. Dessa forma todo o dinheirinho da fé, é lavado de maneira idônea.
Os fiscais do imposto de renda estão arrancando seus pentelhos com pinça pra tentar desfazer essa maracutaia...
Quem sabe um dia a gente não chaga lá, não é mesmo?
Deve ser ruim viver num país assim...

Beijos

maker52 disse...

desculpa ocupar se tempo assim, acabei exagerando mesmo, conhece 'Esperando Godot' de Samnuel Beckett? Saiba o quanto a vida é absurda,e quanto o verdadeiro absurdo da vida deve ser compreendido profundamente.

peguei o bichinho da mente inquieta isso é saudavel?

isabella saes disse...

Vamos por partes...

Fábio, vou te ajudar... "O Livro das Ilusões", de Paul Auster, é encantador. "Precisamos falar sobre o Kevin", de Lionel Shriver, é aterrador. "As Ruínas", de Scot Smith, é uma mistura de ficção com terror imperdível, "O caçador de Pipas", best-seller, muita gente com preconceito, mas eu assino embaixo. "Mais pesado que o céu", a biografia de Kurt Kobain é incrível e... Por fim, "O Iluminado", de Stephen King, pra fechar com chave de ouro. Se puder veja o filme também, do Kubrick.

Luiza, companheira de todos os dias! Revelações bombásticas... E eu digo, assim como Regina Duarte, de olhos arregalados: Eu tenho medo, muito medo...

Maker 52, o bichino da mente inquieta é muito saudável. Foi assim que consegui publicar um conto!! É claro que conheço a peça! Tive uma cadela que se chamou "Lucky". E, quem de nós nunca esperou Godot???

maker52 disse...

oi isabelíssima vc comentaria rapidinho pra mim o filme encaixotando helena (Boxing Helena, 1993) e Asas da liberdade. (Bird - EUA, 1985??!!!

por falar em publicar, recebi este pedido de autorização de um poema vai fazer parte de um livro - autorizei, achei que não tinha nada demais
-I hereby certify that my poem, which has been accepted for publication in Immortal Verses Series, is my original work. This is an honest and true effort of my personal creativity and will be published as my original work under my own copyright. I have carefully proofread my poem and have indicated any changes necessary.

isabella saes disse...

Fala, Maker 52!

Primeiro: parabéns pela publicação do seu poema!

Segundo: assisti aos dois filmes há muito tempo, não me lembro bem de nenhum dos dois... Aí, fica complicado tecer algum comentário em relação a eles. Mas, vc me deu uma ótima idéia: vou revê-los!

Até!

Fábio disse...

Valeu pela dica Bella, vou procurar estes livros.

Bom fim de semana e cuidados.
Um beijão,
Fábio

p.s. Ah, quando um dia vir pra Maricá, me fale.

Isabela disse...

Olá, Isabella!

Me assusta ver como a manipulação através da fé vem crescendo tão aberta e absurdamente no nosso país.
Mas como "defender" essas pessoas que, por falta de não somente educação, mas um sem número de coisas, se deixam levar sem tirar-lhes o livre-arbítrio?
Que uma parte da solução está na educação é fato, mas temo que somente isso não seja suficiente nesse caso, pois conheço pessoas "letradas" (pelo menos no que se refere a títulos e graduações) que simplesmente não conseguem abrir a própria mente com relação a isso, seja por ter "crescido na religião" ou "por conhecer o pastor e saber que ele não é nenhum vigarista".

Trata-se de um assunto delicadíssimo, pois não se trata apenas de "duas empresas", mas de vida, sonho, sentimento, fé... Trata-se de partes extremamente frágeis de milhares de seres humanos. Como lidar com tudo isso sem espatifar ovos errados?

Bom, chega de comentários longos, né?!rs

Ps.: Aproveitei pra anotar algumas dicas, viu Bella (nem sei se posso chamar assim... esse povo, só porque te escuta todo dia já vai se sentindo íntimo...hahaha)?!


Beijos pra ti!!!

isabella saes disse...

Xará, pode me chamar de Bella sim!!!

E, olha, concordo com você quando diz que mesmo os "letrados" acreditam em certas coisas bizarras. Quantas vezes a gente não tem demonstrações explícitas de falta de educação em locais considerados de "classe", "estirpe"?! Na maioria das vezes, são os que nascem em "berço de ouro" que dão o mau exemplo...

Marco disse...

Você ainda não viu tudo, querida Isa, a Bela... Existem barbaridades que até o próprio Todo Poderoso duvida. Voc~e ouviu 897 vezes falar de Jesus? Pois eu já ouvi 897 vezes falar em diabo. Cruz credo! Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

isabella saes disse...

Menino, e o medo dessa entidade é tão grande que uma vez eu fui comprar um carro. O nome da cor era "Vermelho Lúcifer". O vendedor só faltou se ajoelhar aos meus pés para que eu levasse o carro, que não tinha saída por causa do nome da cor. E eu: "Eu, hein, moço! E eu lá acredito nessas coisas? Vai esse mesmo, manda o "diabo", que é meu!!"

Iztvan disse...

Ô Isabellla.

Qualquer dia desse, escreva algo sobre a ignorância alheia (o não-saber, não a burrice) que lhe chega aos ouvidos.

Iztvan disse...

Ah, sim...

Até há alguns segundos, eu nunca tinha visto você.

Fui lá no google e vi-lhe o clip com os "melhores momentos" de.

Bem apanhada a gaja, ora pois!

É bom saber com quem a gente tá falando.

Um ótimo fds!

maker52 disse...

onde está publicado seu conto? Gostaria muito de dar uma olhada.
Bom final de semana, o meu vai ser com muito trabalho, bjs.
Embora pareça cansativo percebo que é prazeroso pra vc responder a todos - aproveita e da'uma olhada em Seis Graus de Separação - Título Original: Six Degrees of Separaton,
valeu uma indicação ao Oscar para Will Smith e uma dica pra Luiza - um filme argentino, Não Morra Sem Dizer Aonde Vai - boa noite

re_bonora disse...

Amiga,
Estou com a Tia Sonia, nessas horas liga um som. Talvez possa ate ser um pouco "alienante", mas estou tao desiludida com o sistema. No momento nao vejo muita saida nao e o tunel...a luz esta tao longe que continuo no breu total. Seja na TV ou na politica (veja o recente caso do novo programa assistencialista que o Lula quer lancar em ano de eleicao, que, diga-se de passagem eh CONTRA A LEI), o que se ve eh pura SACANAGEM, FORNICACAO COM O POVO BRASILEIRO. E nos da classe media cada vez mais paralisados diante de tamanhos absurdos. Sorry! Hoje estou meio azeda.
Beijo da amiga que esta morrendo de saudades,
Re

isabella saes disse...

maker, meu conto está publicado num livro que só as escolas públicas brasileiras terão acesso. Não será comercializado. Assim que registrá-lo, coloco à disposição de vocês!

Re, esse nosso presidente só nos deixa envergonhados. Não se culpe por estar azeda. Temos nossos dias, principalmente vivendo nesse mundo louco...

Istvan, o "não-saber" e a burrice... Vc me deu uma boa idéia!

maker52 disse...

como amanhã não vou poder ter a gentil companhia de vcs vai uma dica aliás, duas:

invista no poder da gentileza (da uma olhadinha na página abaixo.

http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=7222&onde=2

tava dando uma olhada nos trabalhos de jackson pollock e comecei a pintar com a peculiar tecnica dele, maravilha, quanto mais rapido movimentar o mouse mais fino o traço, clicando no botaão direito a tinta muda de cor, com direito aos respingos e tudo mais, um gd beijo.

http://www.jacksonpollock.org/

isabella saes disse...

Maker,

Li a matéria e adorei. É aquilo mesmo: gentileza sem esperar nada em troca! Quanto ao Pollock, adoro o trabalho desse artista. Por coincidência, terei que rever o filme sobre sua vida por conta de um estudo que farei mais pra frente! A gente troca figurinhas depois!!

Ana Kabareth disse...

Putz,Isabella, você tocou numa questão realmente delicada: até que ponto vai a ganância de certos canais que não se preocupam nem um pouco com o que estão difundindo, apenas com o dinheiro. E o pior: a falta de limite dos pseudo-espertos que se aproveitam da ignorância e boa fé de grande parte da massa para lhes roubar mais uma vez.Digo mais uma vez porque essas pessoas já começam a ser roubadas antes de nascer: suas mães não têm aceeso à alimentação digna e sáudavel e sequer um bom acompanhamento pré-natal para a garantia de uma boa saúde. Pra nascer então, é um problema: não tem hospital, tem que peregrinar por toda a cidade e todo o roteiro que todos conhecemos. Mas o pior é o roubo intelectual que se pratica nesse país: a grande maioria do povo não tem condições mínimas de acesso à cultura e educação de qualidade e são roubadas no seu direito ao conhecimento. No fim, é o circo dos horrores que assistimos todos os dias: o povo sendo usado e abusado por toda sorte de picaretas, sofrendo todos os males conseqüentes de uma sociedade doente e ignorante e no final, com se não bastasse, esse mesmo povo paga com o seu suor e a sua dor a conta de todo esse espetáculo trash em que vivemos.
É lastimável e repugnante. Estou contigo e não abro.
Um abraço, Ana.

Ana Kabareth disse...

Belinha,
Estava tentando terminar de escrever um conto, e uma das personagens precisava de uma "frase arremate" para descrever o contexto atual do mundo em que vivemos...isso acabou me fazendo refletir... se precisácessemos de uma frase para descrever o mundo atual qual seria? E se fosse um filme,um livro, uma música, uma obra de arte, uma cor, uma coerência, uma filosofia ou mil tantas outras referências mais?Quais seriam?
Sei que não tem nada a ver com o seu post, mas sei tb que vc, assim como algumas pessoas aqui do blog, têm uma visão muito vasta de tudo um pouco e achei interessante dividir com vocês esse momento meio "shakesperiano", sem querer me comparar porque não dou nem pro gasto, mas o que será que realmente vale a pena? Qual é a questão? Qual é a referência?
Ainda estou sem pistas, mas a personagem se saiu com algo bastante hilário no fim das contas: " O mundo é tão cheio de tudo, que acredito que no fim seja apenas um grande vazio cheio de nada."
Será? Não sei...mas a personagem acredita piamente que sim...rs
Um grande abraço e até mais.

isabella saes disse...

Ana, você é uma figura! Quer dizer que tenho uma concorrente contista? Hehe... Eu acabei de ter um conto publicado em livro!! E desejo que voc~e escreva mais e mais... É a mais linda forma de libertação! Querida, se eu fosse resumir em uma palavra o mundo em que vivemos hoje, eu diria... GORDO. Tá cheio demais esse nosso mundo, não acha?! É isso. Continue ligada no programa e aqui no blog!!! Beijos.