quinta-feira, junho 19, 2008

A arte de fazer sorrir

Sempre fui mais de sorrisos do que de gargalhadas. Nada contra as risadas mais intensas, mas é que - para mim - nada se compara ao efeito de um sorriso. Tanto para quem sorri quanto para quem o recebe. E olha que fazer alguém sorrir não é fácil. Falo daquele sorriso que chega pra ficar algumas horas estampado no rosto. Aquele que, quando você cai em si, já está com a boca doendo e gasta de ficar na mesma posição. Um sorriso que a gente nem sente quando se põe sobre o semblante e resiste em deixá-lo ir embora. Pois esse fim de semana tive a oportunidade de sorrir mais do que o normal - sim, eu sorrio bastante, sou daquelas bem simpáticas, que as vovós apertam a bochecha e tudo - e foi uma grande experiência. Por isso, deixo aqui a minha dica para o dia, para a semana, para o mês, para o ano, para a vida toda: sorria! Não, você não está na Barra. Mas está entrando em contato com o que há de melhor aí dentro... É, aí mesmo. Dentro de você.

Esse post com cara de texto de "auto-ajuda" - mas não é!!!!!! - é dedicado a Joss Stone e Bob McFerrin, os responsáveis pelas mais de 4 horas ininterruptas de sorriso em meu rosto. Agora, pra completar, uma limonada, por favor!

19 comentários:

Anônimo disse...

É por essas e por outras que me orgulho tanto dessa mulher. Mulher que tenho a sorte e prazer de chamar de MINHA companheira.
Deixo aqui a lembrança daquele sorriso contido, tipo Monaliza, que diz tudo e tem que se estar atento para perceber seu real valor. Sou particularmente fã desse tipo de sorriso. Alias...esse é o tipo que lhe cai melhor. BelalizaSaes!!! É daquele que deixa a sua covinha buxexal em evidência...sabe qual é??? pois é, eu sei, e muito bem.
Te amo!
Cacko!

Nobody disse...

Simplesmente sorrir faz muito bem mesmo! Sorrir por bobeiras, ou do nada, da uma calma...uma paz de espirito que � uma maravilha pra qualquer um...

Encontrei seu blog na comu da Hora do Blush, sou uma grande f� sua e da Luiza!!

Meus parab�ns e continue sempre sorrindo =D

Beijos

maker disse...

olá Dona Isabella, tudo bem? Fiz um curso que recomendava sempre que mostrassemos um sorriso mesmo diante de situações adversas, algo de de dentro, positivo, um posicionamento pessoal diante da vida, com um sorriso te pergunto: Você conhece Ram Bahadur Bomjon?

Ram Bahadur Bomjon, also known as Palden Dorje (his official Buddhist name), is a young Buddhist monk from Ratanapuri village, Bara district, Nepal who has drawn thousands of visitors and media attention for spending months in meditation allegedly without food or water. He began his meditation on May 16, 2005, and went missing on March 11, 2006; (born May 9, 1989, sometimes Bomjan or Banjan).

maker disse...

hoje é sexta, bom final de semana - pra vc curtir http:/www.jango.com/stations/23895124/tunein?u=0&song_id=80584&proxy_id=2598331

isabella saes disse...

Beijos para cacko, com direito a sorriso de Monalisa e covinhas "buxexal"!!! Hehe...

Nobody!!! Não é possível, vc deve ser alguém!!! Hehe... Obrigada pela mensagem e seja sempre bem-vinda por aqui e no programa tb.

Não conheço, Maker. Mas vou me informar. Obrigada pelo link da música. Não conhecia esse lado do Eric Clapton...

® ♫ The Brit ♪ ® disse...

Sorriso sempre faz bem!
acho e incrivel o sentimento positiva uma sorriso sempre mandar para tudo mundo e para o dono desse sorriso tb!! e por isso eu sempre sorrir! alem do fato o que sou sempre feliz! - quase sempre rsrsrs
Otimo post Isabella!
Bjs

maker disse...

Belinha, (som da ficha caindo) eu também desconheço esse lado do Eric Clapton - acho que confundiram "Let it rain" com "In the rain" do dramatics. Desfeita a confusão sinto uma comoção muito grande em saber que esse garoto - Ram-(16 anos) está a sete meses sem comer nem beber, apenas meditando e o legal é que ele tem um sorriso.
bjs -

Murilo Ribeiro disse...

Eu até sorriria pra Joss Stone. Se conseguisse parar de babar quando a vejo. Ô mocinha bonitinha!!! E ainda canta horrores!rs...
Bjão, Bella!

Bárbara Pereira disse...

Belíssima,

vc sempre em sintonia com a notícia...e não é que a medicina agora sugere a yoga do riso!
Querida, aproveito para dizer que eu sou meio atrasadinha, mas não deixei de colocar lá no meu humildezinho blog o selo This Blog Makes me Think. Demorei um pouco porque não achava de jeito nenhum o cadeadinho para os links (tenho um mac, lembra?). Pois bem, não achei o tal cadeado e fiz de uma forma bem lusitana....veja lá...rs
beijos e obrigada again!

saudades!!!

Marco disse...

Imagino que você tenha MESMO se divertido muito com a Joss e o McFerrin. Sim, você é risonha, eu a conheço desde muito. E concordo com o seu Cacko: seu sorriso é lindo. Continue assim. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

isabella saes disse...

hahaha! Vou lá ver, Bárbara! Yoga do Riso? Não vi isso... Vou procurar me informar.

Obrigada, Marco!!! Vc é um querido!!!

Canta muito mesmo, Murilo. E é muuuuito carismática. Foi um grande show.

Não cheguei a esse nível de evolução, Maker. Se eu estivesse há 6 meses sem comer nem beber nada, não estaria mais aqui para contar histórias no blog...

maker disse...

oi Isabella, existem coisas extraordinárias que acontecem com a gente, de repente nos encontramos numa situação que nunca gostariamos de nos encontrar e entramos nela mesmo assim. Participei de uma peça beneficente para um lar de crianças em São Cristovão, foi a segunda e a última, que situação aterrozante, pisar num palco, pelo menos lembrei o texto dessa vez. Mas o interessante é que depois nos reunimos na casa da Babilla, que escreveu a peça e foi proposta uma brincadeira em que me cobriram com um lençol. A cada pergunta que não conseguisse responder eu tinha que tirar algo que não me fizesse falta. Chegou a hora em que estava só de cueca e percebi que a única coisa que não me faria falta era o lençol e a brincadeira acabou. É interessante pensar que na maior parte do tempo estamos cobertos por um lençol que achamos que faz parte da "brincadeira" e na verdade ele é a primeira coisa que devemos dispensar. Um bj, uma semana maravilhosa pra vc.

Adriana Maia disse...

Menina!
acho que descobri um jeito.
entro em você pelo seu comentário em mim e aí, ele (o Big Brother virtual) me reconhece e me deixa entrar. Que coisa...
bom, já havia lido esse aqui antes e vc conseguiu até que eu, uma malmoradinha de carteirinha, abrisse um sorriso.
bom, já quis dar parabéns pelo conto publicado, quis falar dos produtos naturebas que tb tenho consumido mais... aliás, vc é que nem eu que tinha esquecido da existência da maionese? vivia pensando como será que a maionese havia sobrevivido nessa era saúde. Descobri hoje! Vi um comercial da Hellmans Deleite. Criaram uma maionese com leite e 'sem gordura'.
bom, escrivi um post... isso que dá~não conseguir comentar quando quer!
beijo, garota!

isabella saes disse...

Dri, só de saber que vc abriu um sorriso com esse meu post meio "auto-ajuda" já fico muito feliz! Ganhei a noite, menina!! E quanto à maionese, evite-a, mesmo sem gorduras... Hehe! Beijos.

isabella saes disse...

Maker, boa sacada! É verdade, muitas vezes estamos fantasiados com algo que nada tem a ver conosco... E como!

® ♫ The Brit ♪ ® disse...

Oi Isabella!!
Sabe eu vi esse filme "The Jane Austen Book Club" em Dvd no fim de semana passada?! e gostou tanto o que eu assistiu 3 vezes em 2 dias! rsrs :)
Agora ficou muito inspirado para ler todos os livros de Jane Austen! (eu ja li Pride and Prejudice algumas vezes... foi uma dos meus livros para literatura Inglesa em universidade de Londres)
Agora eu quero ver "A Outra" (The Other Boleyn Girl) - no momento eu gosto muito esses filmes de historia Inglesa! eu assistiu "Elizabeth - The Golden Age" em Dvd tb, mais uma dica otimo! Cate Blanchett e excelente!
Talk to you soon Amiga!
Bjs

maker disse...

...Or that everybody's on the stage, and it seems like
you're the only person sitting in the audience? Não resisti espero que goste, um gd beijo.


http://www.jango.com/stations/26080646/tunein?u=0&song_id=87456&proxy_id=2598331

Meanwhile back in the year One --- when you belonged to no-one ---
you didn't stand a chance son, if your pants were undone.
`Cause you were bred for humanity and sold to society ---
one day you'll wake up in the Present Day ---
a million generations removed from expectations
of being who you really want to be.

Skating away ---
skating away ---
skating away on the thin ice of the New Day.

So as you push off from the shore,
won't you turn your head once more --- and make your peace with everyone?
For those who choose to stay,
will live just one more day ---
to do the things they should have done.
And as you cross the wilderness, spinning in your emptiness:
you feel you have to pray.
Looking for a sign
that the Universal Mind (!) has written you into the Passion Play.

Skating away on the thin ice of the New Day.

And as you cross the circle line, the ice-wall creaks behind ---
you're a rabbit on the run.
And the silver splinters fly in the corner of your eye ---
shining in the setting sun.
Well, do you ever get the feeling that the story's
too damn real and in the present tense?
Or that everybody's on the stage, and it seems like
you're the only person sitting in the audience?

Skating away on the thin ice of the New Day.

André Cunha Lima disse...

Eu que sempre fui aficcionado por gargalhadas, e inclusive "famoso" por ter uma das mais contagiantes, depois de ler esse post confesso que vou ficar mais atento ao sorriso. Ele pode realmente ser tão especial quanto... Parabéns!

isabella saes disse...

E é, pode apostar!! Beijos e obrigada pela visita, querido.