sexta-feira, outubro 10, 2008

O segredo do gigante chinês


Uma das leitoras do "Mente Inqueita", Janaína Salles, deixou uma pergunta muito interessante sobre a China nos comentários do post anterior: "Por que eles crescem 10% ao ano e nós (Brasil) não?"

Janaína, reproduzo aqui um trecho do livro "Lawoai", de Sonia Bridi. Ela faz o mesmo questionamento, só que com outras palavras. Aliás, esse é um livro obrigatório para quem quer entender um pouco mais sobre o gigante chinês!

Aí vai:

"Se ditadura justificasse desenvolvimento, a Coréia do Norte seria a Suécia. A Albânia, o paraíso. A África, a terra prometida. É óbvio que o autoritarismo ajuda a agilizar a execução de projetos. Basta ver como eles abrem espaço nos hutongs para construir novos prédios; como não precisam de licença ambiental para construir uma usina. Mas essa não é uma vantagem, é uma desvantagem do crescimento chinês. As decisões autoritárias se revelam desastrosas - o próprio governo hoje reconhece que ter construído a Usina de Três Gargantas não foi uma idéia exatamente genial. Se tivesse havido debate, encontro de idéias, o resultado teria sido outro. Como talvez Itaipu não tivesse jamais sido construída se não fosse num regime militar. O que me irrita é os brasileiros não perceberem que o motor do crescimento chinês é o planejamento. Eles são capazes de estudar as experiências de outros países, avaliar erros e certos, e tomar decisões sobre o próprio futuro. A China investe milhões de dólares em passagens de avião e hospedagens para comitivas e mais comitivas visitarem outros países. Fazem pesquisa de mercado, entendem as formas de produção, conhecem projetos educacionais. O plano para cinco anos é seguido à risca - mesmo que mude a facção do partido que está no comando." 

Nota: em 2006, o crescimento econômico do Brasil foi de 2,9%, o da China, de 11,1%.

Janaína, acho que sua pergunta está respondida, né?! É por isso que a China, com todos os problemas, sem recursos naturais, etc. consegue andar pra frente. E nós... Até quando, nós, abençoados por Deus, ficaremos andando sem rumo por aí?


14 comentários:

ParaTodos disse...

É verdade Isabella. O texto responde também a que preço se dá esse crescimento. Que bom que gostou do blog e obrigada pela dica de leitura, excelente!
Bjs!

® ♫ The Brit ♪ ® disse...

Muito interessante sua texto Isabella!
mas uma pais assim, grande e com muitos recursos, preciso tem muito mais respeito para o ambiente... mas tudo isso vem de só pensando em dinheiro, deixando o povo e a planeta de lado...

Eu aguarde ansiosamente pelo sua post sobre a comida: cavalho marinha, escorpioes, sopa de tartarugas, costela do cachorro....
ahh ja to com muito fomé! rsrsrsrs

Talk to you soon dear friend!

Suellen Analia disse...

Pergunta muito bem respondida!
A China investe em coisas válidas... Sabendo do retorno que terá!
Bem que o Brasil poderia fazer o mesmo!


Beijos, Isa!
Que saudade de ouvir o programa!!!
Bom final de semana!!!

Murilo Ribeiro disse...

Nós? Andando?
Sei...em círculos, né?rs...
Bjs, Bella! Ótimo post!

isabella saes disse...

Obrigada a você, Janaína, pela ótima contribuição ao "Mente Inquieta"!!

Dear friend, vc não perde por esperar!!

Suellen, volta logo a ouvir o Blush!!!

Pois é, Murilo, em círculos. E não tem desculpa, né?! O país é tão grande, que é uma ignorância andar em círculos por aqui. Tá faltando criatividade, ou melhor, vontade política em muita gente por aí...

Beijos e obrigada a todos pela visita!!

Suellen Analia disse...

Só se eu for demitida! hahahaha

ps: vou ouvir escondida! hehhee...

Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...

Discordo de não estarmos andando. E pra frente. (Agora no meio da tsunami não sei como vai ficar.. mas o barco continua flutuando e o motor ainda está ligado...)Mas isso é assunto que pede uma mesa.

Beijos

isabella saes disse...

É verdade, Gabriel, esse assunto dá muito pano pra manga num boteco. Mas, ao chegar na China, a gente fica com essa sensação, e a pergunta da Janaína e da Sonia vem mesmo à cabeça. E olha que eu só fui pra capital, hein! Quanto à tsunami, nosso presidente insiste em dizer que é apenas uma marolinha... E isso me deixa tão, mas tão triste... Vc tem todo direito de discordar mas, com essa liderança, acho difícil o Brasil andar pra frente de fato. Beijos, querido!

Gabriel Cavalcanti da Fonseca disse...

Entendo. Vou guardar desdobramentos do papo para alguma oportunidade ao vivo. :)

Beijos

Marco disse...

Sobre esse, bem, acho que existem outros fatores que expliquem o crescimento espetacular da China. O custo da mão de obra especializada (ou não) por exemplo. Os salários lá são aviltantes. A moeda é mantida desvalorizada artificialmente. Um produto chinês custa muitíssimo mais barato que qualquer similar no mundo (veja bem: não estou discutindo qualidade...), justamente porque custa muito pouco para produzi-lo tornando-o competitivo.
Carpe Diem.

isabella saes disse...

É verdade, Marco, vc tem razão. Postei aqui apenas uma dos muitos motivos que fazem com que a China cresça mais a cada ano. Quanto aos empregados, é um absurdo. Eles chegam a não pagar grupos de operários que trabalham nas cidades por um período ou pagar muito menos do que o combinado... E ainda não permitem que o cara do campo fique na cidade. Acabou o trabalho, volta pro campo. É dura a vida do trabalhador por lá... Beijos, querido!

Sergio Brandão disse...

Post muito esclarecedor, Isabella! Eu mesmo sempre me fazia essa pergunta, quando assistia a alguma matéria de TV sobre o crescimento do PIB chinês!... Hipótese, essa, muito boa para se considerar! Dona de uma lógica e tanta!... Bjs.

isabella saes disse...

Pois é, Serginho, antes de sair daqui eu me fazia tantas, mas tantas perguntas sobre a China que resolvi ler logo três livros sobre o país. E aí, as coisas começaram a ficar mais claras... Nem tanto, mas clareou um pouco!

Anônimo disse...

Isabella a china tem 5000 anos e esse é certamente o maior período de paz dessa civilização. Quanto tempo vai durar? Quando a produção chinesa chegar no auge o que eles vão fazer para mantê-la?
Apesar de tudo eu prefiro o Brasil que cresece poquinho no presente mais não compromete tanto o futuro como os chineses.
Bjs Isabella